segunda-feira, 11 de novembro de 2013

ESTÁ FALTANDO HOMENS QUE QUEIRAM ASSUMIR UM RELACIONAMENTO AMOROSO?




As mulheres andam reclamando que está faltando homens que queiram assumir um compromisso ou um relacionamento sério.


A verdade 
Um número considerável de mulheres (nem todas) estão muito fáceis e disponíveis, por isso, os homens não estão precisando correr atrás das garotas como faziam no passado. Eles estão tendo a facilidade de poder escolher uma dentre várias que os assediam. Há alguns anos atrás, os homens eram "caçadores" e as mulheres as "caçadas", hoje, a situação se inverteu, passamos de caçadores para caçados. 
A realidade

Cada vez mais as mulheres estão aderindo ao sexo casual, ou P.A., o que comprova a disponibilidade delas.
Com o velho discurso de que as mulheres estão conquistando mais espaço e direitos, e que isso faz parte do avanço da mulher moderna na sociedade, muitas delas estão confundindo liberdade com libertinagem. Com isso, banaliza-se o sexo através das relações sexuais sem envolvimento emocional e o resultado é a diminuição das relações amorosas com compromisso. 
Não devemos ser hipócritas ou falsos moralistas. O sexo casual é válido, porém, quando essa prática se torna frequente em detrimento de um relacionamento, com companheirismo, cumplicidade e envolvimento emocional, é sinal de que chegou o momento de revermos algumas atitudes perante a vida, afinal, não somos animais irracionais no cio, movidos apenas por instintos primitivos. 

O homem pensará muito, antes de assumir um compromisso com aquela mulher que acabou de conhecer, e que de imediato ou após 01 hora ou pouco mais já estão na cama. A transa será válida, porém, assumir um relacionamento sério, talvez após um tempo, ou jamais. Muitos homens pensarão: "Se ela foi tão fácil comigo, quem garante que não será também com outros homens". Esse tipo de pensamento pode parecer machista e retrógrado, mas não deixa de ser uma reflexão lógica e racional.
Que me desculpem as feministas de plantão, mas atualmente, os homens estão mais seletivos em relação a compromissos amorosos, e nem poderia ser diferente no contexto atual, em que se confunde liberdade com libertinagem ou promiscuidade. Todavia, sabemos que quando bate aquela paixão avassaladora que entorpece nossos sentidos, somos capazes de mandarmos o bom senso e a razão às favas, mesmo sabendo que poderemos sofrer lá na frente, ou não. Mas tudo na vida serve como experiência, e a decepção serve de aprendizado.



Tudo isso é reflexo desses novos tempos, onde as relações se tornaram descartáveis, e o sexo, para alguns, um mero ato mecânico para satisfazer apenas as necessidades fisiológicas.

Na economia há uma regra de mercado conhecida como Lei da oferta e da procura. Quando um determinado produto está sobrando e você encontra em qualquer esquina, o preço dele tende a cair, desvaloriza-se. É mais ou menos o que está acontecendo com os relacionamentos, tudo está muito fácil e oferecido, por conseguinte perde-se o valor e o interesse.




Os homens interessados num relacionamento sério, com envolvimento emocional, etc., andam com saudades da paquera tradicional, onde podia-se saborear o passo à passo da conquista, da sedução, do envolvimento.  Correr atrás da "princesa" e conquistá-la era como ganhar um troféu precioso. Era muito mais gratificante.




Luiz Lira
Atuo na área de Recursos Humanos.
Nas horas vagas, gosto de ler, refletir e opinar sobre comportamento, relacionamentos e dilemas do cotidiano. 
Gosto de compartilhar temas que estimulem a reflexão.

"Normalmente um homem não se casa com uma mulher que ele usa exclusivamente para fins sexuais" Moema/Consultoria - www.meusfetiches.com.br